Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

Jardim, o Keynesiano

Ricardo Campelo de Magalhães, 24.09.11

Não é piada! Leiam o artigo.

 

Eu também não sei porque é que os Keynesianos do Continente criticam o Keynesiano da Madeira. Afinal, como dizem no Blasfémias...

- Alberto João Jardim defendeu o Estado Social madeirense.

- Alberto João Jardim apostou no investimento público para sair da crise.

- Alberto João Jardim não estava mesmo disponível para governar com o FMI.

- Alberto João Jardim já desceu o défice antes e sabe como fazê-lo.

- A Madeira teve que enfrentar a crise internacional.

- A Madeira é vítima das agência de estatística do Continente.

- O temporal de 2010 não foi suficiente para estimular a economia.

- A Madeira não precisa de ajuda.

- Ao contrário do Continente, a Madeira aposta  no emprego público bem remunerdado.

- A atitude economicista do governo central em relação à Madeira é tão odiosa como o comportamente de Merkel em relação aos PIIGS.

- "Há vida depois do défice": Na Madeira não há obsessão pelo défice. E relembramos que a obsessão pela dívida gera efeitos recessivos, como o mostram as medidas da troika no continente.

 

E depois... quem garante que a oposição é melhor? =P

2 comentários

Comentar post