Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

Razão em Bloco

João Marques, 09.03.09

 Custa-me dizer isto, mas o Bloco tem razão. Não aparecer para curvar a coluna perante o excelso líder angolano não é mais um pretexto mediático, mas um imperativo moral. Já sabemos que tipo de generalidades vão ser repetidas amanhã: "como é difícil instaurar o regime democrático num país que atravessou tantas dificuldades", ou "o processo democrático segue imparável e, cada vez mais, recomenda-se".

Tudo para quê? Para que a Real Politik siga o seu caminho e os nossos problemas possam ser amenizados pelas miragens paradisíacas dos recursos naturais de outros. E os direitos humanos? E as atrocidades cometidas nas décadas passadas? E as mais recentes eleições? E os negócios duvidosos de tantos?

Isto é a velha forma de fazer política, os nossos governantes não se enxergam nem entendem que a bitola dos líderes é diferente, é a de ousar onde outros se acomodam, é a de ir à frente quando outros puxam para trás, é a de falar verdade onde outros usam discursos redondos. Quem tem razão, tem-na sempre e não a faz depender das circunstâncias. Os grandes homens da história souberam liderar e, bem ou mal, marcaram um rumo.

O que temos nós? Uma cambada de células amontoadas em forma de pessoa e que se desintegram perante qualquer adversidade.

Numa coisa concordo com Salazar, (ainda que ele o não tenha dito neste sentido) prefiro ser "pobre mas feliz", do que ser rico, remediado ou acomodado mas servil.

Pela minha parte recuso ser colonizado pela mediania do yes man.

25 comentários

Comentar post

Pág. 1/2