Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

O que faz uma construtora à frente de um jornal?

PsicoConvidado, 08.05.09

Uma construtora à frente de um jornal faz obra defeituosa e com forte possibilidade de ruir pela base. A partir do momento em que os jornais ficaram dependentes das agências de publicidade, dos bancos e das multinacionais passou a ser legítimo que as construtoras civis também entrassem para o rol de quantos entendem que o poder político só os contemplam se possuírem um veículo de apoio a esse poder político.

 

Nada melhor que ser proprietário de um jornal para agradar a um pode político se, à partida, essa publicação servir de contrapartida para a adjudicação de projectos estatais de construção civil.
 
Uma construtora que decide ser proprietária de estações de rádio, de televisão ou de jornais, tem uma intenção explícita e, quiçá, honesta. Em causa o velho lema "dar e receber". Obviamente que um investimento de uma construtora num jornal apenas terá como objectivo a tentativa de influência no sentido de agradar a qualquer poder instituído, a fim de obter contrapartidas traduzidas em empreendimentos de construção civil, os quais servirão para pagar o projecto jornalístico e os apêndices.
 
Psico-Convidado:

14 comentários

Comentar post