Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

One Down... One to go!

André S. Machado, 02.07.09

 

José Sócrates acaba de aceitar a demissão do Ministro Manuel Pinho

 

O debate do Estado da Nação revelou muita coisa sobre este Governo e sobre o Primeiro-Ministro... O gesto de Pinho ficou como marca, mas o debate foi mais que os chifres do ex-Ministro.

 

Repare-se...

1. Sócrates centrou o discurso inicial em Manuela Ferreita Leite e no PSD: Citou e deturpou declarações, referiu o caso PT que se vai apagando à face do carácter e integridade da presidente do PSD, atacou insistentemente a "diabólica" Direita. Tudo isto revela uma enorme inquietação com a crescente aderência dos portugueses à mensagem de verdade de MFL;

 

2. Sócrates deixou, definitivamente, o estilo de cordeirinho manso... Durou pouco, não faz parte dele! Ainda tentou durante pouco mais de uma semana mas não consegue suportar a crítica e esta brincadeira do "direito de oposição democrática";

 

3. Se o gesto do Ministro revela muito sobre o Governo, os berros e gritaria da bancada do PS revelam ainda mais sobre o partido de Sócrates... É difícil ouvir falar de questões como a inexistência de concurso para os Magalhães ou da Fundação para as Telecomunicações. Porém, nada justifica a postura de grande parte dos deputados socialistas.

 

O ex-Ministro faz chifres para as bancadas da oposição, os deputados do PS berram, Sócrates, inquieto, troça dos seus adversários e justifica-se, sempre, com o passado "assustador"...

 

Os chifres de Manuel Pinho são mais do que um gesto... São o símbolo de um Governo desnorteado, a imagem de um partido desesperado, a fotografia de um Primeiro-Ministro sem rumo, inquieto, nervoso e inseguro com o seu futuro!

 

Setembro está a chegar...

6 comentários

Comentar post