Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

Something about us

Essi Silva, 26.01.10

"It might not be the right time

I might not be the right one

But there's something about us I want to say

Cause there's something between us anyway"

 

Gosto muito do meu partido. Não é uma questão de tachos, ou de trampolins. Gosto verdadeiramente de política e gosto ainda mais de pertencer a um grupo político cujos ideais me preenchem e me permitem fazer alguma diferença na sociedade portuguesa.

Hoje sou-vos sincera: o partido que admiro desde pequena tem-me desiludido cada vez mais.

Uma questão de líderes

Muitos têm apontado como causa para a crise no PSD, a ausência de liderança capaz ou a sucessão de líderes à velocidade luz. Outros até, acham que o problema está na falta de visão, na carência de alternativas. Velhos do Restelo, chamam-nos esses, acusando-nos de não mudar de registo, de continuar num caminho retrógado.

Aceitam-se ideias

Para mim, mais que um problema em relação a quem nos lidera, há uma ausência de ideologia. Sabem efectivamente o que ainda é o PSD? Há quanto tempo não mudamos de projecto político? O que defendemos hoje?

O PSD parece cada vez mais uma manta de retalhos, vazio de consistência política. Hoje afirmam uma coisa, amanhã já discordam do que afirmaram no dia anterior. (ou hoje criticam e amanhã fazem o mesmo)

E é este o partido que queremos apresentar aos portugueses como a melhor alternativa para Governar.

Ódios de estimação

Adoro que discordem de mim: é sempre uma forma fantástica de fortalecer a argumentação e de me fazer pensar um pouco mais além. Da discussão nasce a luz. Ainda assim, não há política possível com uma discussão permanente.

Há que deixar os ódios de estimação para trás. Quando o objectivo é proporcionar o melhor para os nossos pares, o nosso país, a unidade é essencial. Com críticas? Claro que sim. Mas não ao primeiro palito que se mexe ou através do ataque pessoal.

Porque outro problema no PSD é haver sempre quem critique mas nunca quem queira ou consiga provar que faz melhor que o alvo das suas críticas.

D. Sebastião

 

Independentemente de quem gostaria de ver como presidente do nosso PSD, ao Exmo. Dr. Castanheira Barros, ao Exmo. Dr. Passos Coelho e a todos aqueles que considerem ser candidatos à liderança relembro: Um bom político é aquele que inspira pessoas, não se reduzindo ao argumento da melhor alternativa.

 
 

In: Crítica construtiva; Coragem e iniciativa; "Inspirar e melhorar!"; Projecto coeso, uno e coerente; Cooperar

Out: Ofensas pessoais; Empurrar candidatos; "Ser a melhor alternativa!"; Hoje afirma X amanhã afirma Y; Renegar

19 comentários

Comentar post