Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

Paixão é preciso!

jfd, 27.09.10

Quando temos Mário Soares a ecoar a seriedade e a visão de PPC na comunicação social, algo está mal neste País. Mal e muito errado em contraste comum Cavaco eleitoralista, um Santana alienado por si próprio, um Alegre que corre atrás de Cavaco, um Paulo Portas sempre seguindo aquele minuto que valerá pelos tais quinze e um PCP e um BE eternamente encostados aquilo que é a esquerda desacreditada pela razão e história. No PSD o grupo dos elitistas faz por se agarrar aos últimos resquícios de poder e influência quais cegos pelo pelo passado recusando reconhecer a nudez de um imperador que já não tem relevância. Felizmente não passam de uma minoria. E felizmente, em extinção. Pois o resto do partido é sério e pretende a  melhoria do país e de suas condições. Não a qualquer preço, mas a um justo preço. O sacrifico é de todos e para todos, especialmente por quem mais pode e para quem mais precisa. Há que quebrar com o que sempre foi. Não sou contra os 120 milhões que se pouparam com as medidas de fiscalização do RSI, mas tenho um grave problema com o facto de que em 2009 se gastaram 800 milhões em pareceres jurídicos externos. Tão somente porque não considero realmente que o Estado tenha de se especializar em pareceres jurídicos. acho bem que vá ao mercado, mas ao mesmo tempo que não alimente uma força gigantesca de recurso humanos desaproveitados.

E Sócrates sabe que o fim se aproxima. E tal como sabia que o poder se aproximava aquando do seu reinado pelo ambiente em que vários amigos e boys ficaram espalhados por vários principados, principalmente pelas águas, agora que sabe que o fim está próximo é com tristeza que se lê dia após dia o DR e suas nomeações, as trocas e baldrocas de lugares e lugarezinhos e aquilo que se antevê desde já como a manutenção daquilo que sempre foi...

 

Guterres viu o seu orçamento minoritário passado graças a uma fábrica de queijo. Graças a esse grande partido franja da democracia nacional que é o CDS/PP. Cerca de um ano depois e para evitar o Pântano Político, Guterres virou as costas a Portugal.

 

Sócrates, orgulhoso e grande estratega cria o seu pântano. Faz com que haja razão para abandonar o navio. Os próximos tempos como os que se lhes antecederam serão de mais fogo de artificio. Mais culpas do PSD, mais culpas de Pedro Passos Coelho e de cada vez mais ataques de franco atiradores e especialmente de fogo amigo.

É importante ser duro. Ser forte e ser consequente com as nossas posições. Saber o que queremos e aquilo em que acreditamos. E não ceder à primeira fabricação reflectida como manchete num pasquim qualquer ou à primeira opinião de um auto proclamado pundit qualquer!

 

É importante a seriedade. Tenho vindo a dizer.

Mas também é importante a paixão. É importante lutar por aquilo que acreditamos.

Lutar pelo nosso país e agarrar o nosso futuro. Os nossos passos são seguros.

Não corremos para fora do navio nem viramos as costas a Portugal.

Eles que façam o que sempre fizeram, não contam com a nossa ajuda certamente.

Como nunca contaram nem contarão.

21 comentários

Comentar post

Pág. 1/2