Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

A Mesquita da Infâmia ?

Miguel Nunes Silva, 16.08.10

 

 

A 'Cordoba Initiative' é um projecto de alargamento de um centro cultural islâmico no quarteirão do 'Ground Zero' em Nova Iorque. Entre as novas instalações estará uma mesquita que será independente do centro cultural.

 

Nos EUA instalou-se a polémica total com republicanos e democratas, conservadores e liberais em grave divergência sobre o assunto. A polémica tem polarizado os dois lados da questão: uns acreditam no absoluto constitucional da liberdade religiosa e defendem com unhas e dentes a construção da mesquita, outros acreditam ser uma afronta às famílias das 3000 vítimas do 11/9 e à América.

Fareed Zakaria, editor da Newsweek autor conceituado e apresentador de um programa na CNN, decidiu devolver um prémio que havia recebido da Anti-Difamation League em protesto pela posição da ADL - uma organização de protecção das liberdades cívicas - contra o projecto.

 

As mais altas personalidades políticas têm vindo a público expressar opiniões sobre o assunto, desde Sarah Palin ou Michael Bloomberg até ao Presidente Obama.

 

Se é verdade que nenhuma lei proíbe o controverso projecto e que as liberdades cívicas se devem defender a todo custo, não é verdade também que ele será altamente contra-producente para a tolerância religiosa nos EUA?

 

Dennis Miller, um artista Americano, escreveu há dias no Twitter: 'That Muslims can build a mosque at the WTC tells you everything about America. That they WILL build it, tells you everything about Islam'

FITNA atento aos ventos de mudança!

Elsa Picão, 05.06.09

 Enquanto em Portugal ainda se prepara o último dia de campanha destas eleições europeias, já se vota na Europa. E é da Holanda que nos chegam os primeiros resultados. Segundo esta notícia, o segundo partido mais votado foi, sem muitas surpresas, o Partido para a Liberdade do Povo Holandês. Um partido fundado em 2006 e liderado por Geert de Wilders que fez campanha contra a adesão da Turquia á UE, atacando o que considera ser a “islamização catastrófica” da Europa. “Diz pretender “destruir a partir do interior” o Parlamento Europeu, onde vai ter quatro dos 25 deputados eleitos pelos holandeses.”

 

Geert de Wilders é também conhecido pela realização do polémico filme Fitna, onde compara o islão ao nazismo.

 

A democracia é sinónimo irrevogável de liberdade de expressão? Ou acomoda espaço para a “imposição” de certos limites?

 

A um político, democraticamente eleito, deve ser permitida (tolerada) a afirmação de ideias como as expressas em Fitna?

 

Para que Europa nos conduzem estes, aparentes, ventos de mudança?