Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

Há algo que não percebo ...

Miguel Nunes Silva, 11.02.10

     Como é que ainda há quem defenda o governo?!!!

     Já não falo da populacão que coitados são uns iludidos, mas falo nos comentadores, nos pundits, nos ditos intelectuais. 

 

      Há um ano atrás Manuela era uma anedota, porque não dizia coisa com coisa, porque não tinha alternativas, porque lhe saiam umas gaffes, porque não unia o partido, porque era retrógrada e conservadora, etc. 

 

      Hoje, tudo aquilo que ela disse se confirma e tudo por que lutou prova a sua sensatez.      Ora vejamos:

 

 

  

       - Não era carismática ou boa com os média, mas hoje os paladinos da comunicação social têm os seus nomes na lama;

 

      - Não oferecia alternativas mas afinal nem as energias renováveis salvaram o país dos efeitos nefastos do endividamento, nem os mega-projectos salvaram o país do desemprego ou deram estímulo à economia. Hoje as políticas de austeridade que sustentava são mais claras e necessárias que nunca;

 

      - Saiam-lhe gaffes infelizes. Pois, mas quem falava por slogans e não dizia nada de concreto – para todos os efeitos mantendo-se alheado da obrigação dos governantes em prestar contas das suas políticas – tambem não se saiu melhor. Pelo contrário, faltou á verdade e ainda a procurou distorcer  (Confessem lá, senhores comentadores que hoje se roem todos por dentro; é ou não é verdade, que é preferivel alguém que seja franco e competente, do que alguém que fique bem na câmara e mande uns soundbites?);

 

      - Não unia o partido mas hoje aquele que é conotado como o “seu” candidato tem sérias hipoteses de ganhar a lideranca do partido nas próximas eleições;

 

      - Não unia o partido mas levou-o a várias vitórias eleitorais. É verdade que não venceu as legislativas, mas conseguiu fragilizar o governo do PS o suficiente para o forçar a negociar na aprovação do último orçamento; ah sim! E subiu o número de deputados do partido.

 

      - Era retrógrada e conservadora mas aonde estão afinal os casamentos gay? Não se vêem nenhuns e a própria lei corre o risco de ser considerada inconstitucional. 

 

 

      Mas que pena que tenho que no meu país, aqueles que escolhem não fazer circo, sejam mantidos fora do círculo mediático dos situacionisticamente in...

      Eu sei que não basta ter-se razão, mas que raios, em qualquer pais decente, a atenção devia agora privilegiar MFL e o PSD. Ela ainda não está fora! Ela está presente, toda esta catadupa de acontecimentos que lhe dão razão não estão a acontecer depois de ela ter saído há muito de cena!

 

Pudera que depois os Portugueses se lamentem de que os politicos são todos maus.

A atenção por parte dos media não tem por base o mérito...

 

      Vergonhoso!